> Roccana Poesias: Teu nome

*

.
.

"Poesia traz vertigens. Ora cruel, ora leve, ela é desnuda."

.
.

28.6.10

Teu nome

.
ando escrevendo teu nome nas vidraças
no espelho do banheiro
em guardanapos de papel
observo cada letra
teu nome na minha mão
você na minha escrita
acento agudo

teu nome que grita
e eu nem quero ouvir

.

Um comentário:

Vieira Calado disse...

Minha 1ª visita.

Achei o blog variado e interessante.

Saudações poéticas.