> Roccana Poesias: Como somos

*

.
.

"Poesia traz vertigens. Ora cruel, ora leve, ela é desnuda."

.
.

25.10.12

Como somos


somos sonhos

somos somas
somos sina

sementes

sons

e
       silêncios

sombras
segredos





às vezes
somos
sem sentido














4 comentários:

Roberto disse...

Maravilhoso! É bom ver você de volta, Ana. Abraço!

Ana disse...

Obrigada, Roberto!
Ando fora de forma...
Bjos!

Teresinha Ferreira disse...

Que maravilha!
Que se dane tantas coisas por esse mundo afora. Eu quero mais é ser feliz!
Beijos mil

Jeanne Geyer disse...

Ana, modestamente escrevo poesias e vi nas tuas o toque da alma que vibra e toca o coração da gente. tua escrita vem das entranhas mais profundas e reflete com presteza a alma humana. já te sigo, bjs

http://espiritosevangelizados.blogspot.com.br/