> Roccana Poesias: Meninas

*

.
.

"Poesia traz vertigens. Ora cruel, ora leve, ela é desnuda."

.
.

6.6.05

Meninas

Meninas bonitas não falam coisas feias
Meninas bonitas não fazem nada errado
Nem sequer pensam em coisas proibidas
Que é para tornarem-se senhoras distintas
De comportamento ilibado e gestos elegantes
De sentir limitado e atitudes contidas
Tendo em mente que devem sempre dizer não

Meninas bonitas sentam-se à mesa
Mastigam de boca fechada as suas dúvidas
Meninas comportadas não fazem perguntas
Que é para tornarem-se senhoras sem respostas
De portas fechadas, armários arrumados,
Roupas discretas, peles desbotadas
Plantas regadas e vidas ressecadas

Meninas educadas falam em voz baixa
Tem hora pra voltar pra casa
E não conversam com estranhos
Que é para tornarem-se senhoras discretas
Que não falam o que sentem e sentem culpa
E sentem dores nas costas e sentem medo
E permanecem sentadas, mastigando de boca fechada

4 comentários:

Leonardo disse...

Ainda bem que somos/fomos, daí e daqui, um bando de crianças feias...

Alexandre Valêntulus disse...

Poesias como esta que você escrve, me deixam um pouco preocupado. Mas bem sei que a "liberdade" que você reclama e sugere nela, é condição inerente ao humano e, deve, realmente, ser preservada.

Esta é a primeira vez eu seu blog.


Que tal ler isto?http://blogs.abril.com.br/poemasvalentulus/2010/01/alivio-giovanna.html

Anônimo disse...

bom essa criança mesmo sendo bonita nao e feliz coitada prefiro ser uma criança feia doque uma criançla infeliz...
pois essa criança bonita consertesa nao teve nem amigos bom nao brincou nao sorrio nao caiu nao correu nao chorrou nao fez nada coitada.....

Anônimo disse...

Porra prefiro ser uma criança feia!! Sou gtinha mais naum sigo essas regras ai...
Caralho essa criança naum teve infancia!!!