> Roccana Poesias: Blefe!!

*

.
.

"Poesia traz vertigens. Ora cruel, ora leve, ela é desnuda."

.
.

28.2.05

Blefe!!

Propaganda enganosa
Alarme falso
Cd pirata
Engodo
engano
plágio
blefe.
eu
me
sinto
assim
cada vez
que falo
de emoções.
nada é novo.
tudo já foi dito
descrito
rimado
mentido
nada faz sentido

4 comentários:

Elenara Castro Teixeira disse...

Ana Mimosa!

Quando o coração explode,
e a emoção nos envolve
e a nossa voz se atrapalha
nas palavras que precisam
ser ditas, todos parecem
serem inimigos da gente.

Nada sai como queremos
e nada faz a diferença!

A gente olha mas não vê,
fala mas não escuta,
entende o que não deve
e se consome em desvarios.

Cobramos o que não temos
e pensamos que damos o
que julgamos ter
e nesse tal de pega e larga,
cruzamos nosso calvário
de braços dados com o medo!

Medo de dizer sim,
mas também de dizer não,
confusão de sentimentos.

Duvídas de um amor
bandido,
desdito,
maldito,
proscrito,
desterrado,
mas tão adorado,
jamais esquecido!

Apenas, um amor confuso,
medroso,
mal falado
e tão bém agasalhado
no abraço das nossas emoções!

Quando a coragem nos falta,
o medo a gente inventa
e nesse caos emocional
todo mal se faz presente!

Tudo por não saber,
tudo por não querer,
tudo por sufocar,
tudo por não dizer,
a frase mágica
de todos os enamorados:
Eu te amo!

Essa dúvida que te queima
é brasa que queima a alma,
é brasa que queima o peito,
é brasa que arrasa a vida!

Bota pra fora esse fogo,
refoga todas as dores
e num prato bem servido
verás que todos os amores,
só precisam ser vividos!

Ana!

Muita mágoa nesse teu poema.Meu coração se comoveu com essa dor, pois sei o quanto custa para um coração apaixonado, não ser acolhido quando se precisa.
Quanto custa para um amor bendito, não ter um abraço para ser agasalhado quando as nossas emoções estão a nos causar tumultos.
Sei muito bem o que é isso,pois já vivi essa dor, portanto entendo perfeitamente.

Um abraço!

Elenara Castro Teixeira
elenarat@hotmail.com
Santa Maria 24/09/2005

Elenara Castro Teixeira disse...

Scraps do Orkut!

Ao filosofar sobre o poema "Blefe" que li e que achei fantástico, tenho para dizer que a mágoa desse poema é visceral, vem dos confins...da tua saudade!

Fiquei comovida!

Essa dúvida que te arrasa, é brasa viva que te queima a pele, é dor que te queima o peito, é saudade que te atrasa a vida!

Estou adorando essas leituras e cada vez mais acredito, que tens que dar luz e claridade para elas.
Tirar do "armário", limpar o mofo e espanar o pó!!
Deixar verter essa magia e encantamento que teus poemas possuem, pois assim o fazendo, estarás emocionando a todos.

Sinto-me iluminada por ter tido acesso a esses poemas!

Obrigaduuuuu!!!! (Elenara)

Leonardo disse...

Blefe tem cara de Adriana Calcanhoto! Mande prá ela musicar ;)

Roberto disse...

Muito bom! Na forma, no conteúdo, na sensibilidade...

E não deixa de ser verdade. ;-)

[]s,

Roberto